Dermacyd

Coceira na região íntima: principais causas e como tratar.

10/10/2020

Muitas mulheres apresentam episódios de coceira vaginal no decorrer da vida, já que a área genital feminina é extremamente sensível. A coceira vaginal ocasional é comum e geralmente desaparece por conta própria, já a coceira persistente pode ser um sinal de algo mais sério, por isso é importante sempre avaliar as causas e visitar seu ginecologista.

Causas O que pode ser?

Candidíase

Uma das principais causas da coceira vaginal é a candidíase, uma infecção causada por um fungo do gênero Candida, sendo o mais comum o Candida albicans.¹ Essa doença causa um corrimento espesso, grumoso e esbranquiçado, comumente acompanhado de irritação no local.² Geralmente o tratamento é feito com medicamentos antifúngicos.³

Vaginose bacteriana

A vaginose bacteriana (VB) é a desordem mais frequente do trato genital inferior, entre mulheres em idade reprodutiva (grávidas e não grávidas) [4]. Os principais sintomas são coceira na vagina, corrimento vaginal branco, odor vaginal fétido de peixe e ardor ao urinar.[5] A vaginose bacteriana é tratada com antibióticos orais, um gel antibiótico vaginal ou creme.

Líquen escleroso

Coceira acompanhada de manchas brancas na área da vulva pode indicar um distúrbio incomum chamado líquen escleroso. O tratamento é feito com cremes ou pomadas à base de corticosteroides. [5]

Alergias⁶

A coceira vaginal pode ser resultado de alergia causada pelo uso de produtos, como: • Sabonetes inadequados;
• Amaciantes de roupas;
• Papel higiênico perfumado;
• Perfumes e cremes.

Por isso, é muito importante sempre utiliizar produtos específicos para a região íntima e visitar seu ginecologista regularmente.

Dicas para evitar A coceira vaginal

Fazer uma boa higiene íntima

É importante lavar a região com sabonetes específicos, de preferência líquidos que não agridam o PH da área, pois os sabonetes em barra usados por toda a família podem ser agentes de contaminação. [7] É ideal realizar a limpeza após cada evacuação, troca de absorventes e depois da relação sexual.  

Usar roupa íntima de algodão

A calcinha de algodão é respirável, o que significa que pode ajudar a reduzir a coceira na vagina.[8] O tecido ajuda a evitar doenças e alergias na região da virilha, pois ele contribui para a respiração local.

Evitar o uso de calças muito justas

Vestidos, saias e calças mais largos auxiliam na transpiração da região íntima. [9]

Utilizar preservativo em todas as relações sexuais

Doenças sexualmente transmissíveis são passadas através do contato sexual desprotegido, e algumas delas podem causar coceira na vagina, incluindo a clamídia, herpes, tricomoníase e gonorreia.

Algumas DST, quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves, como a incapacidade de engravidar e até mesmo a morte.

Perguntas Frequentes

O que fazer quando a parte íntima está coçando e ardendo? É muito importante consultar um ginecologista e fazer exames para identificar a causa específica e iniciar o tratamento adequado.

Como evitar a candidíase? ¹¹ • Não permaneça com biquínis molhados e roupas de ginástica úmidas;
• Troque absorventes e protetores de calcinha com frequência;
• Depois de evacuar, sempre faça a higiene da frente para trás;
• Evite banheiras de hidromassagem e banhos muito quentes;
• Se você tem diabetes, verifique se o açúcar no sangue está sob controle.

O que é bom para alergia? Existe algum remédio caseiro? Algumas alternativas caseiras ajudam a aliviar a coceira na vagina, como utilizar suplementos probióticos, iogurtes naturais, óleo de coco, óleo de alho e óleo de orégano. Mas antes de iniciar qualquer tratamento, lembre-se de consultar seu médico.

Referências:

1. Candidíase vulvovaginal: sintomatologia, fatores de risco e colonização anal concomitante Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032007000100002

2. CDD- Crônicos do Dia a Dia- Saúde da Mulher. Disponível em: https://cdd.org.br/saude-da-mulher/#4

3. Centers for Disease Control and Prevention -Vaginal Candidiasis- Disponível em: https://www.cdc.gov/fungal/diseases/candidiasis/genital/index.html

4. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Manual de Orientação Trato Genital Inferior. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/images/arquivos/manuais/Manual_de_Patologia_do_Trato_ Genital_Inferior/Manual-PTGI-Cap-06-Vulvovaginites.pdf

5. Healthline Media a Red Ventures Company. Reasons Vaginal Itch Happens When You Don’t Have a Yeast Infection. Disponível em: https://www.healthline.com/health/vaginal-health/reasons-vaginal-itch-happens-when- you-dont-have-a-yeast-infection#bacterial-vaginosis

6. Healthline Media a Red Ventures Company- What to Know About Vaginal Itching. Disponível em: https://www.healthline.com/health/vaginal-itching#causes

7. SILVA, Denise Antonia Nunes; COSTA, José Luiz Mazzei. A IMPORTÂNCIA DO SABONETE ÍNTIMO FEMININO COM FOCO NA MICROBIOTA E NOS ESTÁGIOS DE VIDA DA MULHER. Disponível em: https://oswaldocruz.br/revista_academica/content/pdf/Edicao_23_DENISE_ANTONIA_NUNES_SILVA.pdf

8. Healthline Media a Red Ventures Company- Remedies for an Itchy Vagina, and When to See a Doctor. Disponível em: https://www.healthline.com/health/womens-health/itching-vagina-home-remedies#greek- yogurt

9. Healthline Media a Red Ventures Company. How to Treat a Yeast Infection. Disponível em: https://www.healthline.com/health/womens-health/effective-yeast-infection- remedies#prevention

10. Aurora Health Care. How to Prevent a Vaginal Yeast Infection. Disponível em: https://www.aurorahealthcare.org/patients-visitors/blog/how-to-prevent-a-vaginal-yeast-infection

MAT-BR-2003851 NOV-20